Pular para conteúdo Pular para barra lateral Pular para rodapé

Álvaro Pacheco assume responsabilidade por goleada do Flamengo sobre o Vasco: “A culpa é minha”

O Vasco sofreu sua maior derrota na história dos clássicos contra o Flamengo ao perder por 6 a 1 no último domingo, 2, pela Série A do Campeonato Brasileiro. Em sua estreia como técnico, Álvaro Pacheco pedindo desculpas à torcida e assumindo a responsabilidade pelo resultado.

“Em primeiro lugar, é pedir desculpa. O resultado aconteceu, e sou o responsável enquanto treinador. Conseguimos equilibrar, fomos capazes de marcar um gol e tivemos chances de fazer o segundo. Depois que sofremos o gol a equipe perdeu um pouco o controle emocional”, disse.

Publicidade
Você conhece o canal da Agência RTI Esporte no Youtube? Clique e se inscreva!

Apresentado há apenas dois dias, o técnico português está no início de seu trabalho no Vasco. Ele elogiou os primeiros 30 minutos de jogo de sua equipe, mas considera que eles se desorientaram após o empate do Flamengo.

“Quando está criando uma identidade nova, aconteceu um imprevisto, eles esqueceram das referências novas e foram para as antigas. A equipe passou a pensar individualmente. Quando ficamos com um a menos, esses espaços ficaram mais evidentes”, avaliou.

Siga a Agência RTI Esporte também no InstagramFacebook e Twitter.

O time do Vasco terá agora um intervalo de 11 dias antes do próximo jogo. A equipe enfrentará o Palmeiras no dia 13 de junho, no Allianz Parque. Atualmente, o Gigante da Colina ocupa a 13ª posição na Série A do Campeonato Brasileiro, com seis pontos conquistados.

Veja outras respostas do treinador: 

Não utilização de David: “Foi opção tática. Tenho 36 jogadores, só poderia convocar 23 e a questão do David foi opção tática.”

Pedido de desculpas: “Eu não gosto de arranjar desculpas a nível dos meus jogadores. A culpa e o responsável desta derrota é minha. Portanto, aquilo que eu tenho que fazer é trabalhar e preparar os meus jogadores.”

Saída de Rayan: “O Rayan saiu porque sentiu um desconforto na coxa, ele no intervalo disse que sentiu a coxa e que não tinha condição de jogar. Nós treinámos durante estas duas semanas duas capacidades, ou uma linha de 5 ou uma linha 4, sabíamos que durante o jogo isso podia acontecer.”

Sequência dos jogos: “Aquilo que notei, e posso dizer, foi a capacidade de organização defensiva. Sabia que o Vasco tinha jogado com linhas de 4 e de 5. Pelo que treinamos, senti que a equipe ficaria mais protegida com cinco. Esse foi o meu grande objetivo e acho que isso foi bem alcançado nos primeiros minutos.”

Publicidade
plugins premium WordPress Copy Protected by Tech Tips's CopyProtect Wordpress Blogs.