Pular para conteúdo Pular para barra lateral Pular para rodapé

Marcos Paquetá relembra curta passagem pelo Botafogo e motivos de sua saída

O experiente técnico Marcos Paquetá passou pelo Botafogo em 2018, mas o seu comando durou 36 dias, dentre os meses de junho e agosto daquele ano. Com apenas uma vitória em cinco jogos, Paquetá acabou demitido. Durante entrevista ao canal “RTI Esporte“, no YouTube, o treinador relembrou sua passagem pelo Botafogo e os motivos de sua demissão.

“Minha saída foi um misto de muita coisa. Eu já sabia das situações do Botafogo e conhecia o Anderson Barros (então gerente de futebol). Durante o período, me foi passado que o clube não tinha dinheiro e não poderia contratar. Recebi um número muito grande de jogadores e tentei desmembrar um pouco”, disse Marcos Paquetá.

Publicidade

Apesar de saber dos problemas do clube, o treinador resolveu aceitar o desafio, tendo ainda recusado uma proposta do futebol indiano devido a problemas familiares. No entanto, o Botafogo não vivia uma fase positiva e a falta do cumprimento de acordos da diretoria com os jogadores também prejudicou o trabalho do treinador.

“O time vinha de um título carioca, mas com prêmios atrasados, salários atrasados, contratos para vencer e isso tudo gera um mal estar dentro do elenco. Os jogadores ficavam em um hotel no centro da cidade e vinham para treinar no Estádio Nilton Santos e isso tudo vai incomodando o jogador. Quando há problema de atraso salarial, tudo incomoda. Eu ainda busquei implementar alguma coisa a mais com relação ao trabalho feito anteriormente, mas o clima estava muito ruim”, disse Paquetá.

Em um terceiro motivo para a sua saída em poucos dias, o treinador citou a difícil sequência de jogos que encontrou em sua chegada. Logo no começo, o Botafogo enfrentou o Corinthians e, na sequência, teve um clássico diante do Flamengo.

“A sequência de jogos também foi muito difícil, mas depois ganhamos de um adversário de um nível semelhante do nosso naquele momento, que era a Chapecoense. Nesses jogos anteriores, tomamos gols muito rápidos. O time sempre crescia no segundo tempo e eu queria implementar uma atitude de maior protagonismo. Tudo isso cria um ambiente desfavorável, jogadores lesionados, outros querendo sair. Foi muito rápido, mas foi um processo muito difícil”, afirmou o treinador.

Técnico não guarda mágoas do Botafogo

Apesar da relação curta e bastante conturbada, Marcos Paquetá guarda um carinho pelo Botafogo. Afinal, ele retornou ao Brasil após treze anos trabalhando no exterior. O treinador entende que sua passagem foi em um momento muito complicado para o clube.

“Procurei fazer o meu melhor, logicamente posso ter errado em alguns aspectos. O Botafogo é um clube que tenho uma admiração muito grande. Não teve nada demais. As vezes as coisas no futebol não acontecem. Um aglomerado de situações resultou nessa minha saída”, finalizou Marcos Paquetá.

Com a saída do então treinador, a diretoria alvinegra apostou na chegada de Zé Ricardo, que comandou a equipe até o final daquela edição do Campeonato Brasileiro. Atualmente Marcos Paquetá está no CR Belouizadad, da Argélia.

ASSISTA A ENTREVISTA DE MARCOS PAQUETÁ NO RTI ESPORTE!

Publicidade
plugins premium WordPress Copy Protected by Tech Tips's CopyProtect Wordpress Blogs.